Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a dESarrumada

Citações minhas: "eu se não gostasse de meter aqui baboseiras pessoais já há muito que não tinha um blog... é que sinceramente, não tenho mais nada de interessante para escrever."

a dESarrumada

Citações minhas: "eu se não gostasse de meter aqui baboseiras pessoais já há muito que não tinha um blog... é que sinceramente, não tenho mais nada de interessante para escrever."

31
Dez16

Também posso fazer um apanhado de 2016?

Depois de uma viagem feita à noite, penso que já estou habituada a fechar os olhos enquanto vejo as luzes nocturnas de Paris (Torre Eiffel à noite, what else?) e acordar cerca de 2h depois com as luzes nocturnas de Lisboa (Lisboa, posso dizer que estou apaixonada por ti?). Apanho táxi, fico hospedada num hostel simpático, onde fui atendida por um indiano "do you speak portuguese" tentei sem esperança.. "not very well..." e lá fui eu, não surpreendida, conversando em inglês enquanto ele me cobrava a estadia e me mostrava o hostel, quarto individual, casa de banho partilhada, como de costume. Estava frio, tão frio que a colcha magra que me deixaram na cama não chegou para me aquecer, adormeci 3 horas e acordei com os pés gelados. Não dormi nada, acordei cedo e mesmo assim apanhei o comboio no último minuto, porque arrastar uma mala de 24 kg no metro de Lisboa não é fácil, e porque a dada altura já não sabia se devia trocar para a linha azul, verde ou vermelha, e em que sentido devia ir. Chego ao Oriente, encontro a linha facilmente porque a Senhora que fala estava a anunciar a partida do comboio que eu queria, dei graças a Deus ter tirado o bilhete pela Internet na noite anterior. Corri, subi umas escadas rolantes com a mala a deixar-me nódoas negras nos joelhos. Ainda me doem.

3 horas depois, abraço aos pais... Vamos para casa? Vamos!

Chego a casa, está muito frio, a minha mãe esmerou-se nas decorações de Natal. Deve ser o ano em que meteu mais! Diz que são para mim, para eu sentir o Natal, mas que ela já não liga a esta época, eu também não, digo-lhe. Quando tiveres filhos isso muda, responde.

E aqui, neste último dia do ano de 2016, tento pensar sobre ele e não consigo defini-lo. Acho que foi um bom ano, foi um ano de despedidas e de regressos... Viagens: entre Bruxelas e França fartei-me de viajar, vi muitos castelos (o que levo das viagens de 2016 é isto, fotos de castelos!), conheci as terras das minhas amigas todas de França, visitei o Porto e Lisboa de uma forma que nunca pensei fazer. Ah e passei o Natal com franceses, comi raclette na noite de Natal, quem diria que passaria um Natal sem bacalhau?

E em 2017, avizinha-se a tal formação de que vos falei, numa universidade muito conhecida em Paris, tenho medo mas estou entusiasmada! Apesar de tudo a vida é para ser vivida a empurrar o medo de falhar com a barriga... não? Vou fazer uma viagem que já há muito tempo desejava, depois conto-vos! E outra que ainda está nos planos e que ainda não sei como se vai concretizar... acho que 2017 vai ser um bom ano. Bom ano novo a todos!

 

24
Dez16

O Natal a chegar...

...e pelo terceiro ano consecutivo vou passá-lo aqui em França longe da família. Este ano não há petite aqui por casa, ela fugiu para o outro lado da França! Este ano vou passar a noite do 24 com pessoas que conheço menos bem... e nem quero ter que exprimir em palavras o que estou a sentir em relação a isso.

 

Acho que uma pessoa se habitua a estar longe. Deve ser isso.

 

Ainda nem acredito que já é Natal.

15
Dez16

Eu tentei...

... ser discreta quando no meu último post falei sobre sexo. Mas "falhei" redondamente e agora o post está na página de destaques do SAPO.

 

Espero que o moço citado não descubra isto... porque com a quantidade de coisas que já fui desvendando neste blog sobre mim, lá se vai o anonimato. É que não é por nada, mas os meus pais se lerem isto deserdam-me!!!! 


Vá, resumindo e para não ser muito chata que a noite já vai longa: obrigada SAPO, é sempre bom ter um destaque! 

13
Dez16

Quando fazer aquilo numa relação?

Quem me segue desde o início sabe que antes era uma fresca do pior, não ligava muito aos sentimentos e queria era aproveitar a vida... depois caí nesta coisa de ter "sentimentos" e a coisa foi-se por água abaixo. Até os meus posts no blog perderam aquele "calor" tão característico, mas pronto, entre alguns seguidores a menos, houve outros que chegaram e que se identificam mais com o meu novo eu. Nem tudo foi negativo.

Acabei com o plutónio-man no dia em que me apercebi que "se é QUASE amor, então NÃO é amor". É verdade que o sexo era fantástico, mas faltava o resto, TODO o resto. Na cama não havia romantismo, não havia beijos durante o acto e quase que não havia no fim, aliás, aquele moço só conhecia o acto de beijar como algo que precede directamente o sexo.

Por tudo isto é que sempre me arrependi de ter feito com ele assim logo no início, sem ver no que a relação poderia dar, sem me aperceber que ele só mantinha a relação por motivos de ego... na altura pensava que ele só me queria para sexo, talvez não fosse só isso, porque a coisa até ia aguentando apesar da distância, mas também acho que se não fosse a distância, não tinha aguentado tanto tempo...

A verdade é que dizer que não ao sexo numa fase inicial da relação é algo que para mim continua bastante difícil... já sabem que estou numa relação nova há cerca de uma semana, e sinceramente, não consegui resistir a dormir com ele no primeiro dia... por razões completamente diferentes, não porque achei que o sexo com ele fosse ser algo de bombástico ou porque estivesse com imensa fome, não, estive com ele porque o dia foi perfeito, foi super romântico, e à noite, como não poderia esperar outra coisa, o ambiente propiciou a que acontecesse...

Só de pensar fico arrepiada... os beijos que ele dá, a forma como me toca, a sensação de estarmos juntos e sermos um só corpo. Admito que nunca senti isto assim, nunca senti isto desta forma. Senti que o que estávamos a fazer ia muito para além do corpo. Se antes sabia o que era ter um orgasmo físico, agora acho que sei o que é ter um orgasmo espiritual... e se foi assim na primeira vez, como será nas próximas?

Posso estar enganada, mas se este rapaz não for o TAL não sei quem poderá ser. Estou esperançosa e ansiosa para ver o que o futuro reserva. Os momentos que vivemos, apesar de curtos, foram intensos, e esses já ninguém mos tira. Se Lisboa antes não significava nada para mim, agora aquelas ruas ganharam todo um significado que nunca esquecerei.

E nunca pensei que este tipo de ligação tão mágica fosse acontecer com um amigo de infância, um rapaz ao qual dei o meu primeiro beijo quando tinha uns 5 anos.

Quem diria que a vida dá voltas e voltas, e às vezes a felicidade está ao lado de quem sempre esteve lá? Dê no que der esta relação, já valeu a pena estar lá e ter feito este "desvio" na minha vida para o conhecer melhor e lhe dar a oportunidade de me "conquistar", como ele diz. 

A oportunidade está mais do que dada. Estou rendida. 

 

11
Dez16

Aventuras no email

Quem me segue há algum tempo sabe que o email que utilizo para o blog é um email que criei no Sapo de propósito para o blog d'A dESarrumada. Por isso às vezes acontece de me esquecer de o ir ver durante uns largos meses, desta vez o email avisa-me que a última conexão foi a 26 de Outubro... por isso posso concluir que deixei passar imenso tempo, admito.

Com as férias de uma semana em Portugal e stresses no trabalho a minha presença aqui no blog é mesmo para ler o que a malta anda a fazer e postar alguns posts de coisas que me vão acontecendo. Responder aos comentários ficou um pouco de lado (por isso não se admirem se virem uma resposta minha a um comentário com mais de 2 meses, sou especialista a "desenterrar" assuntos!)

Mas algo que me interpelou durante esta minha visita ao email foram as publicidades, escusado será dizer que ali pela época da Black Friday foi de mais, era com cada email a incentivar o consumo e o pagamento a crédito que até fiquei a ver estrelas, e depois lá no meio tinha um email da EDP com uma factura electrónica... escusado será dizer que me parti a rir! Porquê? Primeiro porque nem sequer tenho casa própria em Portugal, logo não preciso de ter uma conta da EDP, segundo, se tivesse uma conta da EDP será que meteria como email de contacto o email aqui do blog???

God... às vezes vejo com cada uma...

Beijos na bunda! 

 

11
Dez16

Domingo.

Um dia tranquilo, estou aqui na cama a beber um Macaccino e a ver o filme do Aladdin, porque finalmente começo a minha maratona Disney este fim de semana. E o que é uma maratona Disney perguntam vocês?

Ver todos os filmes da Disney (de animação claro está) lançados até à data.  Desde o Verão que andava para fazer isto, já vos disse que adoro desenhos animados não já? E nada melhor que um dia frio de nevoeiro para começar esta aventura.

AladdinDisney.jpg
(imagem retirada do Google images) 

10
Dez16

Quase que ia desta para melhor...

Ontem foi o tal jantar com os colegas de trabalho de que vos falo neste post. Tudo corria bem, havia pizza, havia Licor Beirão que eu levei, havia Vodka que foi levada pelos meus colegas polacos.

Tudo estava a ser perfeito, entre muitas conversas e gargalhadas (a maior parte da noite foi passada a desancar no chefe!) até que chegou o momento mais horrível na minha vida até à data, depois de termos comido e já estarmos nas sobremesas, comecei com a pior-dor-de-barriga-de-sempre!

Não foi uma dor de barriga normal, foi algo que veio de forma inesperada, parecia que alguém me estava a espetar uma faca na parte esquerda da barriga... até tive que interromper a conversa que estava a ter para ir imediatamente à casa de banho. 

Asneira, tranquei a porta. Minutos depois dei por mim sentada na sanita com suores frios, à beira do desmaio, sem conseguir respirar. Parecia que me estavam a arrancar os intestinos... e eu sem conseguir chamar ninguém, sem forças e com medo de perder consciência e ficar para ali até me encontrarem de calças na mão. Sim, sei que deve ser dos meus posts menos glamourosos de sempre, mas efectivamente apanhei um susto do carago com esta história, e algo me diz que pode não ser a última vez que isto me acontece.

Resumindo, vou fazer as análises que o meu médico de família me passou há uns tempos para testar intolerâncias alimentares o mais rápido possível. Depois quer vocês queiram quer não venho cá meter os resultados... só para vos enojar mais um bocadinho com a minha vida super interessante.

Pág. 1/2