Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a dESarrumada

Citações minhas: "eu se não gostasse de meter aqui baboseiras pessoais já há muito que não tinha um blog... é que sinceramente, não tenho mais nada de interessante para escrever."

a dESarrumada

Citações minhas: "eu se não gostasse de meter aqui baboseiras pessoais já há muito que não tinha um blog... é que sinceramente, não tenho mais nada de interessante para escrever."

28
Fev17

Ao telefone com a mãe #5

Mãe: Olha deixa-me sair aqui da cozinha que eles estão a ver um jogo do Sporting e não se calam.

(entretanto ouço o meu irmão a gritar um "cara%$&" bem alto!)

Eu: Oh, acho que o Sporting levou um golo...

Mãe: Pois, hoje está mesmo a correr mal. O teu pai daqui a pouco quase que faz um AVC e o teu irmão já acordou o cão da vizinha com tanto berro... agora vai ficar a noite toda a ladrar e depois quem não dorme sou eu!

 

Desarrumada, 
a ouvir coisas destas desde 1991

26
Fev17

A parte menos fascinante de ser emigrante que ninguém vos contou #1

Nesta série de posts estou aqui para abrir o jogo e ser sincera com vocês: às vezes, estar no estrangeiro é uma valente bosta.

Hoje vi e soube que era Carnaval através do Facebook. Aqui na terra onde estou ninguém festejou, lá no trabalho ninguém falou sequer nisso, não há nem uma decoração mínima nas ruas desta terra nem nas da cidade ao lado. 

E cá fico eu no meu canto a ver o pessoal sair à noite e postar montes de fotos do carnaval de Ovar, Mealhada, etc. Sim, tenho amigos em todos os pontos do país. Acho que não ajuda.

24
Fev17

Coisitas parvas #9

Quando estou por casa costumo usar uns óculos de descanso para estar no computador e essas cenas. Hoje tentei passar a ferro com eles - com um daqueles ferros a vapor! Que experiência horrível!

Os meus votos de coragem e força para quem usa estas coisas 24h sobre 24h! Sim, porque eu sei que há malta pitosga que se esquece de os tirar e se deita com os óculos!

 

22
Fev17

Longe mas perto do coração [repost]

Estás longe. Sei que não me ouves. Mas tenho saudades tuas. Tantas que não cabem no coração, tantas que prefiro calar estes gritos dentro de mim.

 

Se pudesses saber eu dizia-te. Mas não posso... o nosso fim, foi aquele fim. Não foi o fim que desejava, não foi o fim que sonhei. Porque para mim o que tínhamos não merecia um fim. Ia ser eterno como o tempo. Ia ser eterno como este sentimento que trago no meu peito.

Sei que te guardo comigo, sei que penso em ti várias vezes por dia. Sei que já lá vão três anos desde o adeus. Sei que ainda me lembro de cada data, de cada abraço, de cada beijo. Mas sei que me lembro muito mais das datas, dos abraços e dos beijos que nunca chegámos a viver. Sei que custou mais o que perdi depois de teres ido embora, o amor que idealizei.

Sei que não querias o mesmo que eu. Mas também sei que ainda pensas em mim, talvez não pelos mesmos motivos que eu penso em ti. Sei que te desejo o melhor, e que de entre muitas despedidas que já te fiz, de entre muitas cartas que já te escrevi, esta também não vai ser a última. 

Desejo sempre que a despedida que te faço seja a última, mas nunca é. Há sempre um dia em que sinto mais a tua falta do que o normal, há sempre um cheiro, uma parte do meu dia que me faz lembrar de ti. Sei que estás sempre presente, que deixaste o teu nome gravado no meu coração a ferro quente. Sei que por muito que tente apagar a cicatriz que deixaste, há sempre um dia em que ela queima mais. Há sempre um instante, qualquer coisa que te traz de volta...

Tentaste falar quando eu vim embora, tentaste uma qualquer aproximação que eu não entendi o motivo, e não fui. As nossas conversas nunca correm bem. Nunca. Eu de ti só queria a mesma coisa que sempre quis, o teu amor. Não quero as tuas migalhas, não quero sexo, não quero falar de vez em quando só porque estás sozinho. Queria-te a ti, por inteiro, sem jogos, sem distância. Já não é possível. De tudo o que era possível antes, agora passou a impossível. A impossibilidade do tudo que não chegou a ser.

Sei que estás longe, sei que já lá vão três anos. Mas também sei que parece que foi ontem o nosso último abraço... e às vezes acho que numa manhã qualquer vou abrir a porta de casa e encontrar-te no carro à minha espera. Para irmos à tal pastelaria que não chegámos a ir. E que entretanto já fechou.

Tem uma boa noite, tem uma boa vida. Até à próxima. Porque há sempre uma próxima.

 

[ post originalmente publicado a 10.03.2015 ]

 

P.S: Para quem não percebe de onde vêm estes reposts, ando a fazer uma compilação dos meus textos antigos preferidos publicados no meus primeiro blog.

21
Fev17

Podem tirar a portuguesa de Portugal, mas não tiram Portugal da portuguesa #3

Tive uma vontade enooooorme de comer um salame de chocolate. Mas aqui onde moro em França não há bolacha Maria em lado nenhum!

Não há problema, pensei, corri os supermercados todos da zona há procura das bolachas mais parecidas. Encontrei uns petit beurre, vamos tentar? Tentamos!

Efectuei o dito cujo chourição.

Não ficou igual, mas já escapa no que toca a enganar o meu estômago português enquanto as férias não chegam.

19
Fev17

Ando com isto atravessado.

Não sei até que ponto se pode considerar um blog de receitas um blog bom, se a maior parte das fotos são retiradas de outros sites de receitas internacionais. Tudo bem que a fonte pode até ser citada e tal, mas uma fotozinha original (mesmo que pequenita 'tá? 'que eu não sou muito exigente!)  tirada pelos autores, de vez em quando, não ficava mal pois não???

18
Fev17

Ligar ao que os outros pensam? Movimento #cagandoeandando is back!

FODA-SE! Estou fartinha de não ser feliz porque a minha cabeça anda sempre a pensar na opinião dos outros... ando a sentir-me mal com uma decisão do trabalho só porque acho que os outros vão pensar que me estou a aproveitar da situação para meu benefício. Isto é horrível, só queria entrar em bitch mode e dizer "Foda-se para isto tudo! Quem manda na minha vida sou eu!"

 

Alguém se lembra do movimento que comecei em 2015? O "cagando e andando"???

 

Pois bem, declaro aqui iniciada a versão 2017! 

 

Taguem com #cagandoeandado os vossos posts de "foda-se!" , só para a malta se rir um bocadinho enquanto esvaziamos o que nos vai na alma!

 

Beijo na bunda! 

18
Fev17

Nós dissemos.

Ele diz que gosta muito de mim. Ele diz que sou muito especial para ele. Ele diz que quer experimentar emigrar. Ele diz que já começou a procurar trabalho cá. Ele diz que quer arriscar.

Eu gosto de ouvir. Eu estou contente. Eu quero muito que ele venha. Eu tenho medo que só o esteja a fazer por mim e já lhe disse para pensar bem na decisão que tomar. Eu gosto muito dele e quero que isto tudo dê certo. Eu quero arriscar.

 

Pág. 1/3