Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a dESarrumada

Citações minhas: "eu se não gostasse de meter aqui baboseiras pessoais já há muito que não tinha um blog... é que sinceramente, não tenho mais nada de interessante para escrever."

a dESarrumada

Citações minhas: "eu se não gostasse de meter aqui baboseiras pessoais já há muito que não tinha um blog... é que sinceramente, não tenho mais nada de interessante para escrever."

28
Jun17

Diário de bordo 28.06.2017

Ontem antes de me deitar, eram quase 2 da manhã, vi o vídeo da Peperan em que ela lê passagens do seu diário de infância. Para além de ter passado o vídeo a sorrir, lembrei-me do meu próprio diário de infância e de como me fazia um bem tremendo escrever lá. Decidi experimentar. Mal não pode fazer, pois não? Se me cansar ou já não tiver nada para escrever depois volto aqui... resumindo, isto é só uma experiência enquanto espero por outra fase da minha vida. 

 

Entretanto este blog vai ficar privado daqui a uns dias.

26
Jun17

Hoje não quero.

Desde ontem que estou a passar por uma espécie de hangover da formação. Não sei literalmente o que fazer com o meu tempo "livre". Sei que tinha muito para escrever aqui, mas não me apetece. Não quero, não quero nada que me faça pensar muito. Neste momento, não me estou a identificar com o conteúdo deste blog. Tento ser bem humorada, mas às vezes não apetece. Depois fico a debater-me com sentimentos de culpa, porque acho que quem aqui vem, vem à procura de um certo tipo de conteúdo, que eu já não consigo dar. Sinto que a minha fonte de imaginação secou. Sinto que mudei. Algures no tempo, entre o dia da criação deste blog e o dia de hoje, mudei.

Estou a pensar apagar isto, e começar outro ciclo mais tarde. Os blogs são para nós, são uma espécie de diário, uma caixa sem fundo de desabafos. Uma pessoa chega aqui e desabafa. E não quero pensar mais nisso. Mas nesta plataforma Sapo há os comentários, que são fofos, queridos e carinhosos, resumindo: tudo de bom. Muito melhor que em outras plataformas. E é isso que faz desta plataforma algo tão especial. Talvez noutro sítio eu ficasse contente só em ver as views, ou não, porque quando criei isto não sabia a abrangência que ia ter, nunca me imaginei com 300 e tal subscritores, nunca me imaginei a seguir a vida de outros, como se de amigos reais se tratassem...

Isto está a ficar uma diarreia mental eu sei. Mas prometi a mim mesma que ia escrever sem filtro, que ia publicar o que quer que os meus dedos escrevessem. A verdade nua e crua, é que hoje estou farta disto. Não pelas pessoas que tenho conhecido aqui, ou os posts que já li, esses momentos não os trocava por nada, mas pela expectativa que tenho colocado em cima de mim própria. Aquela sensação de estar a falhar se não publicar diariamente, aquela ansiedade que chega quando tenho aquele momento: "não sei o que escrever hoje!!!". É estúpido pensar assim, a maior parte das pessoas deve ler o que eu escrevo na diagonal, ou pensar, "who cares?" antes de irem à sua vida. 

Mas gosto de fazer isto por mim. A cena é que sinto que há uns quantos que aguardam um tipo de conteúdo que não poderei nunca mais escrever. Não enquanto for esta pessoa. Talvez um dia seja outra pessoa, mas esta que sou hoje não tem vontade. Nada, niente, rien, nadia... mas eu não vos esqueço.

 

Beijos com carinho da vossa dESarrumada.

24
Jun17

Acabou!

A formação está feita! Consegui! O exame teórico não foi fácil, mas toda a gente passou, o que é ótimo!!! Agora estou num comboio de 5h - para fazer correspondência em Paris antes de ir para a terrinha - ao lado de um senhor que já está a emborcar a segunda cerveja. Estamos no comboio há 30 minutos. Quantas mais vai ele beber? Aceitam-se apostas.

22
Jun17

Só para dar notícias...

Recebemos hoje as notas do trabalho escrito e apresentação. Fiquei entre os 3 melhores... Se me estou a gabar? Um bocado. Mas, acho que depois de me terem aturado tanto tempo com posts sobre esta formação, mereciam saber que 50% foi hoje concluído com sucesso. Amanhã é o exame téorico. Não estou tão ansiosa como pensei que ia estar. Uma parte de mim sabe que domino o assunto, a outra parte de mim está a correr em cuecas e aos gritos. Desejem-me muita merda.

18
Jun17

Inferno.

Não consigo descrever o que tenho sentido ao ver as notícias sobre a tragédia em Pedrógão Grande. Não há nada, nem uma única palavra que possa aliviar a dor daquelas famílias... A dor coletiva dos portugueses ao ver o seu país (amado, e ultimamente tão idolatrado!) em chamas. Eu não quero ver as imagens, não mandem para lá drones, não é isso que as famílias querem, não é isso que os portugueses querem. Não há imagens que apaguem a dor, muito pelo contrário! Eu sinto revolta ao ver as notícias. Sinto revolta ao ver os jornais lutar para ter a melhor foto. Apetece-me gritar de raiva! Dane-se quem pensa que os incêndios trazem lucro! Dane-se quem pensa que plantar este inferno traz algo de bom para o país! Danem-se todos esses e mais alguns que há anos plantam este inferno. Porque a culpa é deles e de ninguém. A natureza, coitada, mesmo que tentasse não conseguiria fazer este espectáculo repugnante todos os anos. Nós só queremos paz, brisa fresca e um verão sem incêndios. Será pedir muito??? O inferno não devia existir num país como Portugal. Portugal e os portugueses não merecem isto.

18
Jun17

A esta hora já devo estar a caminho.

Post programado



A esta hora devo estar a caminho do sul de França, numa viagem de comboio de 8 horas, para o local onde vamos realizar a formação prática que vai durar uma semana.

Por isso durante uma semana inteira, não vão ter posts aqui no blog. Excepto se pegar no telemóvel para vir aqui mandar uma ou outra posta de pescada, mas duvido muito, a internet por lá deve ser uma shit... Portanto, estão de férias de mim!  Nem a segunda-feira badalhoca vai haver...

 

Quero fazer uma pausa aqui do barraco, para depois regressar em força. 

 

Portem-se bem, não façam nada que eu não fizesse. Entretanto podem ir desarrumando este cantinho, já por si só tão desarrumado, nas diferentes tags que vou deixar aqui disponíveis:

 

Ambrósio

Porno

A avó Maria

 

A emigrante

 

 

Alguns textos sobre a minha vida amorosa de que gosto muito:



Envelhecer contigo | 

Longe |

Golden Hour |

Quero é que sejas feliz |

E quando o timing não é perfeito? |

Momento eterno |

Porque ela largou o homem que ama |

O inverno |

O tal |

 

 

Divirtam-se a ler as bacoradas mais antigas enquanto estou ausente 

 

Beijo na bunda! 

 

17
Jun17

Serei a única a fazer tudo e mais um par de botas quando devia estar a estudar? #2

Hoje tive uma vontade incontrolável daquelas de procrastinar a manhã toda... e o motivo foi muito, muito, parvo. Mas válido, muito válido. Desde 2015 que não sabia como estavam a crescer as filhas do rei de Espanha, a Leonor e a Sofia. Fui procurar. Estão giras as miúdas. Depois fui ver a filha da Beyoncé, ver se havia novidades dos gémeos. Depois fui pesquisar as filhas da Luciana Abreu. Estão giras as miúdas. Passei para os filhos da Angelina Jolie e por aí. Posso dizer que foi uma manhã produtiva. Fiquei a par das caras dos filhos dos famosos. Ultimamente ando a pensar muito em crianças, não vem daqui coisa boa. Vou ver se estudo. 

 

16
Jun17

Nem vale a pena.

Desisto. Esta semana a nível alimentar está a ser a pior do ano... se é que conseguiria atingir mais fundo do que comer chocolates no carro e chorar.

Até ao dia 23, dia de exame, nem vale a pena tentar recuperar a minha sanidade de volta. Foda-se isto tudo. Vou só ali comer mais um Magnum double caramel e já volto. 

Comprei uma caixa com 4 gelados e já comi 3. Mais dois croissants com chocolate. E uma lasanha. 

15
Jun17

Tenho que deitar isto cá para fora...

** opinião muito pessoal, se ficam ofendidos com tudo que lêem na internet, não continuem a ler este post **

Com a minha conta do blog no Instagram apareceram nas páginas sugeridas algumas páginas de "Baby blogs". Tenho andando a seguir bastantes e admito que gosto de acompanhar o crescimento dos piquenos.

No entanto há algo que me preocupa neste tipo de blogs... fico com a sensação, assustadora, de que há pais que são obcecados com os filhos!

Fazem tudo a pensar neles, é as refeições centradas no bebé, é os fins de semana repletos de eventos para crianças, é as actividades desportivas para bebés (baby yoga, meditação, pilates para bebés...), é os teatrinhos todos os sábados à tarde, é as festinhas temáticas com decoração a preceito, tudo e mais alguma coisa, para festejar, muitas vezes, o mêsaniversário do bebé. Um bebé que nem se vai lembrar se a cor do bolo combinava com a cor das meias.

Atenção, não tenho nada contra uma pessoa amar os filhos e querer mimá-los, muito pelo contrário. Mas fico com a sensação que há mães/casais, que deixaram de saber o que é viver uma vida de adulto e passam a viver para o filho, única e exclusivamente. Isto faz-me impressão... muita. Mas se calhar é só o "efeito rede social". Tudo parece aumentado nas redes sociais. E espero que a maior parte destes pais passe fins de semana de namoro, aventuras com amigos, ou o que quer que seja que gostavam de fazer antes da chegada do bebé. Mesmo que levem o puto atrás, que isso é perfeitamente normal. Mas epah, não passem os fins de semana enfiados em parques para crianças. E não se preocupem tanto com a cor das meias, daqui a dois meses já nem servem...

 

Pág. 1/3