Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

a dESarrumada

Citações minhas: "eu se não gostasse de meter aqui baboseiras pessoais já há muito que não tinha um blog... é que sinceramente, não tenho mais nada de interessante para escrever."

a dESarrumada

Citações minhas: "eu se não gostasse de meter aqui baboseiras pessoais já há muito que não tinha um blog... é que sinceramente, não tenho mais nada de interessante para escrever."

31
Dez16

Também posso fazer um apanhado de 2016?

Depois de uma viagem feita à noite, penso que já estou habituada a fechar os olhos enquanto vejo as luzes nocturnas de Paris (Torre Eiffel à noite, what else?) e acordar cerca de 2h depois com as luzes nocturnas de Lisboa (Lisboa, posso dizer que estou apaixonada por ti?). Apanho táxi, fico hospedada num hostel simpático, onde fui atendida por um indiano "do you speak portuguese" tentei sem esperança.. "not very well..." e lá fui eu, não surpreendida, conversando em inglês enquanto ele me cobrava a estadia e me mostrava o hostel, quarto individual, casa de banho partilhada, como de costume. Estava frio, tão frio que a colcha magra que me deixaram na cama não chegou para me aquecer, adormeci 3 horas e acordei com os pés gelados. Não dormi nada, acordei cedo e mesmo assim apanhei o comboio no último minuto, porque arrastar uma mala de 24 kg no metro de Lisboa não é fácil, e porque a dada altura já não sabia se devia trocar para a linha azul, verde ou vermelha, e em que sentido devia ir. Chego ao Oriente, encontro a linha facilmente porque a Senhora que fala estava a anunciar a partida do comboio que eu queria, dei graças a Deus ter tirado o bilhete pela Internet na noite anterior. Corri, subi umas escadas rolantes com a mala a deixar-me nódoas negras nos joelhos. Ainda me doem.

3 horas depois, abraço aos pais... Vamos para casa? Vamos!

Chego a casa, está muito frio, a minha mãe esmerou-se nas decorações de Natal. Deve ser o ano em que meteu mais! Diz que são para mim, para eu sentir o Natal, mas que ela já não liga a esta época, eu também não, digo-lhe. Quando tiveres filhos isso muda, responde.

E aqui, neste último dia do ano de 2016, tento pensar sobre ele e não consigo defini-lo. Acho que foi um bom ano, foi um ano de despedidas e de regressos... Viagens: entre Bruxelas e França fartei-me de viajar, vi muitos castelos (o que levo das viagens de 2016 é isto, fotos de castelos!), conheci as terras das minhas amigas todas de França, visitei o Porto e Lisboa de uma forma que nunca pensei fazer. Ah e passei o Natal com franceses, comi raclette na noite de Natal, quem diria que passaria um Natal sem bacalhau?

E em 2017, avizinha-se a tal formação de que vos falei, numa universidade muito conhecida em Paris, tenho medo mas estou entusiasmada! Apesar de tudo a vida é para ser vivida a empurrar o medo de falhar com a barriga... não? Vou fazer uma viagem que já há muito tempo desejava, depois conto-vos! E outra que ainda está nos planos e que ainda não sei como se vai concretizar... acho que 2017 vai ser um bom ano. Bom ano novo a todos!

 

4 comentários

Comentar post